quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

House of Vinnil Apresenta: 5 Capas de Álbuns



Em Ituverava SP, na House of Vinnil, os comparsas Dulu Douglas e Marciano James elegem as cinco melhores capas de álbuns em vinil.
Direção: Edy Woody

House of Vinnil Apresenta: 5 Capas de Álbuns (Parte 2)



Em Ituverava SP, na House of Vinnil, os comparsas Dulu Douglas e Marciano James elegem outras cinco melhores capas de álbuns em vinil.
Direção: Edy Woody

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Abbey Nene Road



Essa canção faz parte do álbum: 
ELA (1971) de Elis Regina.
Homenagem aos irmãos/amigos: 
Gagau Bravo, Belo Moraes, Edu Mestre e Marciano James.

Golden Slumbers / Carry That Weight

(Lennon & McCartney)

Once there was a way
To get back home again
Once there was a way
To get back home
Sleep pretty darlin' do not cry
And I will sing a lullaby



Golden slumbers fill your eyes
Smiles to greet you when you rise
Sleep pretty darlin' do not cry
And I will sing a lullaby



You never gave me your pillow
You only gave me your invitation
And in the middle of the celebration
I pray now



Hey boy, you got to carry that weight
Carry that weight a long time
Boy, you got to carry that weight
Carry that weight a long time
Boy, you got to carry that weight
Carry that weight a long time


Fonte: Vagalume



segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Cinco melhores músicas brasileiras de todos os tempos



Listas são criadas para serem contestadas. 
Os frequentadores do BISTRÔ DEL MONTE, amantes da música brasileira, apresentam suas canções preferidas. 
E, no final tem um bônus com as 3 melhores canções da música internacional.
DIREÇÃO: Edy Woody.

domingo, 16 de dezembro de 2012

Banzai Corinthians!





“Banzai Corinthians
 Champion no Champion
 Towa ni watashi no
kokorono nakani...”





Você me questiona sobre a conexão das outras torcidas em relação ao Corinthians...
... Pois bem, vou argumentar...
... Creio que, o maior erro dos nossos adversários tradicionais, a partir dos anos 90, século XX, foi comparar suas paixões com a nossa:
“Nós somos isso, vocês não tem aquilo... Nós somos tri, vocês nunca foram; esse título não vale, só o nosso conta... Nossa torcida é a maior, vocês só conhecem rodoviária”
E assim por diante...
Então, o Corinthians passou a ser parâmetro comparativo, dado um coeficiente mensurável por conquistas, que os rivais faziam, e ainda fazem questão de ressaltar.
Dai, veio o temido: 'Efeito Colateral':
Primeiro com a nossa torcida levando, no mínimo, dez vezes mais torcedores do que em qualquer outra edição de Campeonato Mundial de Clubes FIFA disputado do outro lado do mundo... O maior “êxodo” intercontinental de torcedores, estatisticamente falando.
Segundo, abriu os olhos da mídia, pois é a única equipe que todos “param para assistir", mesmo que seja para “não torcer” para ela.
Terceiro, atraiu olhares dos investidores, sejam de materiais esportivos, sejam de patrocínios, seja de quem ganha no meio do futebol e, perceberam no Corinthians uma enorme fonte de renda e retorno financeiro. 
Hoje, o Brasil reconhece que o "favelado", o "mano", o subjugado pelas elites consome produtos oficiais e acompanha seu time aonde quer que ele jogue!
Então, em dezesseis de dezembro de dois mil de doze, o Corinthians se tornou bi-campeão do mundo!
O primeiro como representante do país sede em 2000 e, nesse domingo ratificando a grandeza, levantando a taça no Japão; um país tradicional nesse torneio por ter sediado a Copa Toyota nos anos 80 e 90.
Nos próximos dois anos o Mundial de Clubes será disputado no Marrocos, África; e, contra tudo e contra todos, estaremos lá!
Hoje somos a maior equipe do mundo, um time que conquistou o planeta com talento e planejamento.


Esse artigo é um agradecimento a todas as torcidas que fizeram do Corinthians Paulista um dos grandes clubes do futebol mundial.
E, a nossa fiel torcida, eu reverencio:
Vai Corinthians!




*Homenagem aos heróis “guerreiros” do mundial 2012 e das futuras Copas Libertadores.

domingo, 2 de dezembro de 2012

Um encontro marcado (Parte 1)



Há exatos 15 anos acontecerá um encontro entre amigos na praia de Miguelópolis SP.

Homenagem ao "pior" diretor de todos os tempos: Ed Wood¹.

¹Edward Davis Wood, Jr. (*10 de outubro de 1924  +10 de dezembro de 1978)

Um encontro marcado (Parte 2)



No dia 27 de julho de 2027 haverá um encontro de amigos na praia de Miguelópolis SP.

Homenagem ao "pior" diretor de todos os tempos: Ed Wood¹.

¹Edward Davis Wood, Jr. (*10 de outubro de 1924  +10 de dezembro de 1978)

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Lista das 5 maiores bandas de Rock de todos os tempos



Listas existem para serem questionadas. 
As Publicações RETINAS NEWS fez a enquete com os frequentadores do BISTRÔ DEL MONTE para definir as maiores bandas de todos os tempos do Rock 'N Roll.
No final, a lista das 5 se tornaram 10.
DIREÇÃO: Edy Woody

Sobre a Hebe e outros caras



No BCB, alguns caras debatem sobre o ROCK NACIONAL e suas PERSONAS.

Direção: EDY WOODY

terça-feira, 17 de abril de 2012

Uma conversa no Bistro Del Monte



Visita na madrugada, Budweisers e rock'n roll.

Direção: Marcio Medeiros
Estrelando: Marcos Capaneli e Marcio Medeiros
RIP Fabiano Ferro.

domingo, 1 de abril de 2012

Bistrô Del Monte apresenta:



Em Franca SP o Bistrô Del Monte recebe convidados especiais.
Direção e fotografias:
Marcio Medeiros.
Trecho de vídeo:
Peter, Bjorn & John - Young Folks
Músicas:
Jose Feliciano - Light My Fire/Cat's Eyes - Face in the Crowd

quarta-feira, 21 de março de 2012

Passei uma tarde em Itapuã



*Direção e imagens: Rodrigo Lopes.

*Fotografia: Marcio Medeiros.

*Músicas:
Tarde em Itapoan - Toquinho e Vinícius / Minha namorada é uma webcam - Retinas Queimadas.

quinta-feira, 1 de março de 2012

Heterônimos


"Subamos acima,
Subamos além
Acima do além, subamos"
(Vinícius de Moraes)




Dê ao autor novos livros
Outra alma erradia, axiomas
Temas múltiplos, distinta biografia


Faculta-lhe novas linhas
Antagonismos milimétricos
Demonstrações de teorias
Desobediência, outro olhar, heresia?


Incertezas ou irresoluções
Fazem-me hesitar, me trazem mutações
Sem convenções, num reflexo
Perplexo, observo Lou James, na sala de estar


Vigio as próprias ações, lendo-o
Não obstante, preservo confusões, sendo-o
Obsesso, atormentado, expresso dúvidas, tendo-o
Encanto-me e me hesito em preocupações, vendo-o


Com tenacidade, pelo espelho, desvio o leitor
Teimosia, obscuridade e existencialismo
Num efêmero pudor, Pessoa, Brecht e Quintana
Clarice, Sartre, Kafka entre pesadelos e muita dor


Pouco claro, sem nobreza puritana
Na caneta esferográfica mapeando a perda
Anulando as evidências herméticas
Enfraquecendo a luz com destreza cética


Espectador e testemunha que não tenta agradar
Rejeito o diagnóstico incerto do Doutor
Em letras, convenço-me e não me permito doar
Volto indisposto, para o desabrigo do meu lar
Outro foco, outra encenação e um defectível paladar


Obsedo e preocupo-me com o amor
Sou coagido pela própria intenção
Domínio do espírito, cárcere por afeição?
Comigo mesmo, mas não me permito
Em habitar essa física prisão


Salve-me obreira, dê-me a privação
Senão, tornar-me-ei profano por causa dos Românticos
Ceda-me seu tempo, mostre-me suas anotações
Apresente-me a obra perfeita, afasta-me o obscurantismo
Ainda estamos no primeiro dia do ano, enfraqueça-me o cinismo


Vício que aparenta virtude e faz-nos perder em sedução
Superficial, aprendo a nutrir um sentimento que não possuo
Fingimento, falsa devoção, altruísmo artificial?
Não, nenhum deles, só fraqueza aparente
Afinal, tentei ser crente, passei a conhecer o meu ponto de inserção
Ter fé e esperança e identificar a linha tênue entre o terreno e o sobrenatural

sábado, 11 de fevereiro de 2012

Soneto da praia doce

"Amigos, óh amigos!
Tenhamos senso de honra...
Foi necessária nossa partida,
Mas, precisamos retornar."





Agora, o sol sobre os rastros finos
Além dele, outras, milhares de estrelas sobre
Os rastros, meu rastro deixado nessa estrada amarela
De cascalho, poeira, um cavalo miserável e o cachorro late...


... Quando a carroça passa, chicote ecoa, som de cascos, galope trôpego
Latidos, cascos, chicotadas, relinchos e o calor do sol, pedaladas
Ardem à tarde; trapos flutuam, suor escorre, sal, marrom e azul
Rumo ao rio, eu, a carroça, cavalo, esforço lento, exato; um buraco


Por ele, saem e observam-nos, uma família de corujas
Continuam a observar quem passa, quem rasteja, quem voa
Depois do córrego, subida; curva a esquerda, a carroça me ultrapassa


Bicicleta e cascalho não combinam; vou indo, depois da quase-reta, curva à esquerda, mata
No rio azul é lá que vou passar toda à tarde de terça-feira
Encontrar os amigos, sentar à beira; falar de alquimias e pintar quadros de flores vermelhas




*A Miguelópolis SP e sua prainha de água doce,
Presente do Rio Grande.

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Meus passos estão leves




Será que existe um outro mundo?
Uma outra vida no quarteirão seguinte?
Pelas ruas largas, carrego uma antologia de Quintana
Minha alma atônita vaga e busca...


... Respostas para minhas perguntas insanas
Entrei pela madrugada e agora
Só o brilho fosco dos postes e quem sabe
O espetáculo do Armaggedon para entreter-me


Cantam os grilos, meus passos estão leves
Tão leves que tento escalar o céu
O vento dorme...
... E o último ladrão acabou de apagar a luz



*A Mario Quintana

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Uma tarde em Itapuã I



Homenagem ao poeta Vinícius de Moraes e sua eterna praia de Itapuã - BA.

*Fotografias e edição de vídeo:
Marcio Ribeiro de Medeiros.

Música: Tarde em Itapoan - Toquinho & Vinícius

domingo, 22 de janeiro de 2012

Uma tarde em Itapuã II




Edição de Vídeo: Marcio Medeiros
Música: Zimbo Trio


*Homenagem a praia mais famosa do Brasil.

Meus vídeos

Loading...